ptenfrdees

Perguntas Frequentes

O que é o voo livre?

Parapente lindissimo
 
O voo livre é voar utilizando as forças da natureza e recorrendo à articulação do piloto para descolar voar (planar no ar) e aterrar. As áreas envolventes são: o Planador, Asa Delta e o Parapente.
 
As primeiras tentativas do homem voar com asa de estrutura rígida e movidas pelo impulso do homem, aconteceu no final do séc. XIX pelo Alemão Otto Lilienthal.
 
A Asa Delta com desenho próximo ao atual foi inventada e testada em 1963 pelo Australiano John Dickenson baseado na asa Rogallo. Os parapentes foram desenvolvidos a partir da década de 60, mas só chegaram à Europa em 1978, altura em que se começou a praticar o voo livre em zonas montanhosas.
 
Os longos anos de evolução por que passaram estas disciplinas, o crescente aumento do conhecimento científico neste domínio e o surgimento de novos materiais de alta tecnologia têm consolidado estas disciplinas como as mais divulgadas da aviação.
 
Os riscos inerentes a toda a atividade aérea existem também no voo livre. No entanto, a experiência adquirida ao longo dos anos, a qualidade de ajuste e o rigor dos procedimentos de certificação das aeronaves e o conhecimento adquirido em termos do ensino contribuíram grandemente para o aumento de segurança destas modalidades desportivas e de lazer.
 
O voo livre é um desporto sem paralelo, já que voar era o sonho mais antigo do Homem, agora é uma paixão.
 

Onde se pode voar?

Um pouco por todo o lado: Voa-se no litoral junto à praia em ascendente orográfica. Voa-se no interior do país, em montanha, com ascendente orográfica e térmica, onde existem muitos locais de voo mantidos pelos diferentes clubes/escolas de voo livre, com descolagens e aterragens oficiais. Também se voa na planície com recurso a métodos mecânicos de tracionado e rebocado onde se pode subir largas centenas de metros em questão de minutos.

 

 

 

Qual é a altura e distância que podem atingir?

As asas delta e parapentes, podem atingir alturas de milhares de metros e centenas de Km de distância. O recorde de distância em asa delta é de 764 Km. O de parapente é de 564 Km. Voos a alturas superiores a 2.000 metros e distâncias superiores a 40 km são comuns.

 

 

Porque voam o Parapente e Asa Delta?

Os princípios físicos que regem o voo do parapente ou asa delta são os mesmos que se aplicam a todas as outras aeronaves com asas. É a diferença de velocidade entre o ar que circula pelo extradorso e o intradorso que cria uma diferença de pressão gerando uma força ascendente (sustentação). Se esta força for superior ao peso da aeronave esta sobe. Este princípio é conhecido como o princípio de Bernoulli.

 

 

O parapente é seguro?

O Parapente é tão seguro que qualquer pessoa pode voar nele. Como qualquer desporto, o Parapente pode ser uma atividade perigosa se for praticada de forma desadequada e descuidada, não respeitando as regras de segurança básicas.

 O parapente é considerado "desporto com algum risco" tal como o surf, paraquedismo, mergulho, escalada, etc. Como tal, é importante uma boa formação técnica para contornar os riscos.

É importante um bom treino da mecânica de voo, meteorologia, pilotagem, procedimentos de emergência e avaliação pessoal dos riscos. As asas são testadas segundo standards, passando por um processo de verificação da estrutura e aerodinâmica da asa, com o intuito de determinar o comportamento geral e maneabilidade do aparelho.

A maior variável a considerar é o piloto. Se a formação recebida for boa com uma progressão lenta, se se praticar um tipo de voo cauteloso, em condições atmosféricas adequadas e com equipamento bem conservado a probabilidade de existirem acidentes é muito reduzida.

 

 

Para voar é necessário uma licença?

Sim. No nosso país, tanto os pilotos de parapente como os de asa delta necessitam de estar federados para poderem ter a sua licença renovada anualmente.

 
O órgão que tem a tutela do voo livre em Portugal é a Federação Portuguesa de Voo Livre, a qual, entre muitas outras funções, emite as licenças de voo e de aprendizagem, certifica os instrutores e garante seguros de acidentes pessoais e de responsabilidade civil para os pilotos federados.
 
 
 

Como aprender a voar?

Uma coisa é certa: o voo livre não se aprende sozinho! Ao contrário de alguns outros desportos, as consequências da aprendizagem por meios próprios/autodidata ou através de "amigos" pode ser desastrosa.

Aprender a voar é fácil na condição de se ser enquadrado por técnicos competentes. Nada é mais simples que aprender a pilotar um parapente ou uma asa delta, mas o voo livre é uma disciplina que tem uma componente teórica importante. É necessário aprender com os experientes que impedirão que se cometam erros, frequentando um curso de iniciação.

 

 

 

Quanto custa o equipamento de parapente?

Parapentes novos podem custar desde 1500 a 4000 €, a cadeira entre 200 a 1500 €, capacete de 50 a 250 €, para-quedas de reserva de 300 a 800 €. O equipamento usado pode custar desde 750 €, dependendo da idade e qualidade do produto. É importante assegurar-se sempre que o equipamento é apropriado para o nível de voo do piloto.

A maioria das escolas e vendedores de equipamento comercializam equipamento de qualidade e levam a efeito inspeções e testes antes da sua venda. O instrutor é a pessoa que poderá analisar melhor as suas capacidades. Depois de tirar o curso, aconselhe-se com ele para saber qual o equipamento na que deve comprar.

Atualmente já existe um interessante mercado de asas de 2ª mão em boas condições de segurança, o que facilita a vida a quem vai começar e não tem muita disponibilidade monetária.

Nunca compre material de parapente sem se aconselhar com pessoas experientes e da sua confiança.

 

 

 

O que devo procurar numa escola?

A escola deve estar certificada pela FPVL (Federação Portuguesa de Voo Livre), deve utilizar instrutores certificados e métodos de ensino aprovados. Deve procurar saber referências.

 
Converse com o instrutor: a relação do piloto com o seu instrutor é fundamental para uma boa transmissão de conhecimentos, para que se produza reflexão em cada passo, cada voo, e para que as dúvidas suscitadas sejam esclarecidas. Desta relação de confiança resultarão os melhores e os mais proveitosos voos.
 
 
 

Que tipos de aeronaves de voo livre existem?

Existem três tipos de aeronaves para praticar voo livre: Asa Delta, Parapente e Planador. Todos se baseiam nos mesmos princípios aerodinâmicos, mas são contudo diferentes:

  • A Asa Delta é uma aeronave fabricada com alumínio, fibra de carbono e tecido. O piloto voa deitado suspenso sob a aeronave que é dirigida pela deslocação do seu corpo no interior do trapézio. A velocidade de voo varia entre 26 e 130 km/h.
  • O Parapente é um derivado longínquo do para-quedas. Ele transporta-se às costas dentro de um saco que contém todo o material necessário. Esta modalidade tem tido um progresso extraordinário tanto em termos de segurança, como de performance. Os Parapentes tem velocidades entre 25 e 60 km/h.
  • As Asas Rígidas são engenhos semelhantes a asas delta que descolam pelo pé do piloto mas com uma estrutura rígida e tem uma performance mais elevada porém com um custo também mais elevado. O seu controlo não é feito com a deslocação do peso mas por movimentação de superfícies aerodinâmicas à semelhança do que ocorre com os planadores.

O parapente tem a vantagem de ser mais leve e de fácil arrumação, a sua aprendizagem é mais rápida, descola e aterra mais lentamente e em locais mais pequenos. O parapente por vezes pode subir mais rapidamente em correntes ascendentes mais estreitas, devido à sua reduzida velocidade e ao facto de rodar mais apertado.

Asas delta e parapentes normalmente partilham o ar em harmonia. Ambos são capazes de voar longas distâncias. A asa delta tem a vantagem de ser mais rápida por isso conseguir descolar e voar numa gama mais larga de ventos (0-50 km/h) e possuir maior coeficiente de planeio (até 1:19) o que lhe permite percorrer maiores distâncias.

 

 

Quais os limites de idade para os praticantes de voo livre?

As idades dos praticantes de voo livre variam desde os 16 anos a octogenários. Pode-se dizer que os limites são mais mentais que físicos. Se alguém for suficientemente maduro para tomar decisões que afetem a sua segurança e tenha bons reflexos então terá provavelmente condições razoáveis para poder voar.

 
Como voar depende mais do balanço que da força bruta, tanto mulheres como homens podem praticar de igual modo. Embora normalmente qualquer piloto de qualquer altura possa voar, os limites estão de certa forma dependentes do equipamento utilizado.
 
 
Existem também asas de tamanhos personalizados, para pilotos cujo peso tenha uma maior variação relativamente aos parâmetros "normais" - não é o peso que determina quem pode ou não voar. Tão ou mais importante do que estar fisicamente preparado, é estar mentalmente preparado. Para se fazer voo livre é necessário pensar com clareza e saber escutar os conselhos dos pilotos mais experientes.